AB Geral

Alimentação no inverno

Com a chegada do frio, há muitas dúvidas sobre o que fazer para manter hábitos saudáveis que protejam contra essa variação detemperatura e contribuam para reforçar a imunidade. A nutricionista Tatiana Gois, de Londrina, explica que nos dias frios o nosso corpo procura se aquecer aumentando o consumo de calorias. "No frio há uma tendência de aumento do gasto energético para elevar a temperatura do corpo. O cardápio nessa época do ano vai depender do objetivo da pessoa. Se o objetivo for o emagrecimento, deve continuar com os alimentos não calóricos."

No outono e no inverno a má alimentação pode elevar o colesterol "ruim". Esse aumento está ligado ao consumo de alimentos gordurosos e à diminuição da prática de atividade física, já que as pessoas tendem a fazer menos exercícios. Gois explicou que muita gente aumenta a ingestão de alimentos calóricos, mas é preciso moderação. "Tudo o que for em excesso pode fazer mal. A pessoa deve evitar o consumo de gordura saturada, que é encontrada em produtos como o creme de leite, bacon e queijos amarelos. Nesta época do ano é mais comum que as pessoas consumam alimentos mais pesados como a feijoada, mas é preciso tomar cuidado com esse tipo de alimento", reforçou. É o caso do analista de sistemas Rodrigo dos Santos Aranda, que confidenciou que no frio come mais feijoada. "Eu não essa preocupação se vou ganhar peso." 

A advogada Andréa Fernandes Araújo disse que come menos saladas. "À noite tento balancear, mas no almoço procuro comidas mais quentes, com mais carboidrato. Isso me dá uma sensação de saciedade, de conforto e de me aquecer ao mesmo tempo." 

Segundo a nutricionista, o recomendável é manter o consumo de frutas, verduras e legumes, porém, muitas pessoas acham difícil ingerir salada crua. "Existem muitas verduras e legumes que podem ser feitos refogados ou cozidos, podem ser usados em sopas e caldos. A pessoa também pode fazer uma macarronada com legumes, por exemplo. Tudo isso para ter sempre verduras e legumes principalmente nas duas refeições mais importantes do dia, que são o almoço e o jantar", aconselhou. 

Gois ressaltou a importância da hidratação. A recomendação é beber cerca de dois litros de água por dia. "Nosso corpo é composto por 70% de água, mas com o frio a gente não transpira e e não sente tanta sede, e acaba esquecendo de tomar líquidos. Em qualquer época do ano a água é fundamental para o bom funcionamento dos órgãos. Se ficar difícil beber água, aumente ingestão de caldos e chás quentes. Sopas também são bem-vindas para se hidratar", sugeriu. 

A nutricionista afirmou que não existe um alimento "milagroso" que previna doenças como a gripe. "A pessoa tem que ser saudável no geral e deve ter cuidado com a alimentação como um todo. A ingestão de frutas e verduras proporciona ao organismo uma gama variada de vitaminas que é boa para a imunidade. Não adianta tomar água com gengibre e limão e no restante das refeições fazer de maneira errada", advertiu. 

Sobre o hábito de aumentar o consumo de alimentos ricos em vitamina C neste período de frio, a nutricionista apontou que ela não tem poder de tratar doenças, mas ajuda a fortalecer as defesas do corpo. "Seu consumo durante quadros infecciosos reforça o sistema imunológico. Isso faz com que as defesas de nosso corpo tenham melhores condições para brigar contra vírus e bactérias, acelerando a recuperação do organismo", destacou. Entre os alimentos ricos em vitamina C estão a acerola, a laranja, a goiaba e o tomate. "O mais importante é possuir um estilo de vida saudável, consumindo carnes magras, cereais integrais e realizando a prática de exercícios físicos associada ao aumento de consumo de líquidos." 

 

 

(Vítor Ogawa - Reportagem Local - Folha de Londrina)

Todos os direitos reservados | © 2018 | AB
desenvolvido por